Visão & Missão da IEADCEMAR

Entendemos como a nossa responsabilidade na Missão de Deus que é se revelar a todo ser humano e salvá-lo: dele mesmo e do Pecado, do mundanismo e de Satanás. Procuramos alcançar as dimensões da Missão da

igreja do Senhor Jesus na terra, em síntese com: Adoração + Evangelização Urbana, Nacional e Transcultural + Edificação + Diaconia (Serviço) + Organização. 

Visão e Slogan da Igreja:  “Por uma igreja relevante”

Declaração da Missão da Igreja

"A Assembléia de Deus de Maringá existe para agir no poder do Espírito Santo, para resgatar vidas, introduzi-las na família de Deus, motivá-las à maturidade com Cristo em todas as dimensões do ser humano, desafiá-las a encontrar seus dons e talentos bem como para honrar a Deus com suas vidas".

Como foi construída essa visão e esta declaração de propósitos? 

Ambas foram construídas debaixo de oração e jejum, juntamente com mais de 600 obreiros entre cooperadores e cooperadoras dos treze municípios do Campo Eclesiástico de Maringá em Assembléia Geral no dia 21 de agosto de 2005. Com a graça de Deus, estamos pondo em prática o que aprendemos do nosso amado Presidente Emérito de saudosa memória, Pastor João Barbosa de Macedo sobre a "administração conjunta".


A base Bíblica:

Nos evangelhos: Mt 5.13-16; 11.28-30; 16.15-19; 18.19-20; 22.36-40; 24.14; 25.34-40; 28.18-20; Mc 10.43-45; Lc 4.18-19; 4.43-45; Jo 4.23; 10.14-18; 13.34-35; 20.21.

Nos Atos dos Apóstolos: At 1.8; 2. 1-6, 41-47; 4.32-35; 5.42; 6.1-7.

Nas cartas de Paulo: Rm 12.1-18; 15.1-7; 1 Co 12.12-31; 2 Co 5.17; 6.1; Gl 5.13-15; 6.1-2; Ef 1.22-23; 2.19-22; 3.6, 14-21; 4.11-16; 5.23-24; Cl 1.24-28; 3.15-16; 1 Ts 1.3; 5.11.

Nas Cartas Pastorais: Hb 10.24-25; 13.7, 17; 1 Pe 2.9-10; 1 Jo 1.5-7; 4.7-21.


Até quando vamos manter nossa visão e nossa missão?

Tanto o slogan como a declaração missionária não será alterada a cada ano. Aguardaremos a vinda de Cristo em Missão, mesmo porque este projeto é contínuo e crescente, com ênfases a curto, médio e longo prazo. Entendemos que nossa missão não é propriedade particular nossa, nossa missão, em verdade, é de Deus. Nos submetemos a ele e a sua direção. Ele é o dono da IEADCEMAR, pois concordamos que “não é que Deus tenha uma missão para a sua igreja, e sim que ele tem uma fórmula da reconquistar a igreja para a sua missão”, (Christopher J. H. Wright, “A Missão do Povo de Deus”, p 176).


Como procuramos alcançar nossa visão e cumprimos nossa missão?

Cultos de Celebração e Evangelização, adoração e louvor a Deus, evangelizacao pessoal, evangelizacao de massa, disicipulado de Cristo, Campanhas de oração e Jejum; o censo religioso nos bairros e cidades do campo eclesiástico; evangelismo pessoal feito de porta em porta;  concentrações evangelísticas; visitação; discipulado para novos crentes; discipulado para novos cooperadores e cooperadoras; conscientização das dimensões do padrão de igreja do Novo Testamento; Escola de Líderes, Retiros Espirituais, denominados "Encontro com Deus", Pequenos Grupos nos Lares Missionários, cursos e treinamentos para obreiros e líderes de todos os segmentos etários da igreja; cursos de Teologia que visem formar operários da Palavra em nível básico e Médio, e Bacharelado como curso livre em Teologia para formar pensadores pentecostais; utilização da mídia (TV, Rádio, Internet, Imprensa, Publicidade); conscientização e qualificação das congregações na área de adoração, evangelização, missão urbana, edificação e diaconia para a própria igreja e para a sociedade.

Pr. Robson Brito, serve a Assembleia de Deus em Maringá como pastor presidente, casado com Rute, pai de Aron, Beatriz, Artur e Laura.


A VISÃO E A MISSÃO DA IEADCEMAR

Igreja Evangélica Assembleia de Deus do Campo Eclesiástico de Maringá, segundo o pensamento do Pr. Robson brito Guilherme Carey, considerado o "pai do movimento moderno de missões", era um simples sapateiro em Londres, mas tinha um propósito de vida que o levou a ser um dos maiores vultos da história do cristianismo. Seu lema era: "Espere grandes coisas de Deus, realize grandes coisas para Deus". Ele entendia que o Senhor, sendo tão majestoso, não poderia ter uma mentalidade tacanha, mas teria sempre grandes projetos que gostaria de executar junto com seus filhos. (Marcelo Aguiar, em Cura Pela Palavra, pg 75). O segredo da vida de Carey é que ele perseguia uma visão e tinha consciência da sua missão. Ter definidas nossa visão e nossa missão nos tira da mediocridade. Quando temos definidas nossa visão e nossa missão e a consideramos tão importantes que podemos até morrer por elas caminhamos rumo a excelência. E, assim, buscamos o melhor em vez do bom; buscar o excelente em vez do melhor; e procurar o extraordinário mais do que o excelente. Deus quer nos dar o extraordinário, porque o bom é inimigo do melhor; o melhor é inimigo do excelente e o excelente é inimigo do extraordinário. Este é o tempo em que Deus está requerendo o extraordinário, mais do que o excelente. Pois este é o tempo em que ele quer manifestar a sua glória como nunca antes aconteceu.


A VISÃO

A palavra “visão” é muito forte. Na língua portuguesa ela tem nove sentidos. Dentre eles quero destacar um sentido, que é direção, sonho, ideal, futuro, perspectiva. Nesse aspecto visão é que gera uma paixão pela vida. A visão também descreve um status futuro de uma organização. Olhando para o futuro, como imaginamos a IEADCEMAR? O que queremos ser, como igreja, no futuro? Nossa resposta é: A IEADCEMAR quer ser uma igreja relevante. Relevante para Deus, relevante para si mesma (como corpo) e para seus próprios membros enquanto corpo de Cristo e relevante para quaisquer lugares onde um membro dela estiver inserido na sociedade. Assim, enquanto a igreja glorifica a Deus com sua vida e ações, a IEADCEMAR se compromete a ser de modo simultâneo relevante para Deus, para o ser humano, para a sociedade onde estiver inserida e para seus próprios membros, seguindo o modelo apostólico da igreja de Cristo, que “caía na graça de todo o povo” (Atos 2.47).


A MISSÃO

Enquanto a Visão descreve o status futuro, a Missão descreve a atividade permanente da nossa Igreja. A Missão da IEADCEMAR A missão da IEADCEMAR é expressa na seguinte declaração de propósitos: “Nossa Igreja existe para agir no poder do Espírito Santo, para resgatar vidas, introduzi-las na família de Deus, motivá-las à maturidade com Cristo em todas as dimensões do ser humano, desafiá-las a encontrar seus dons e, para honrarem a Deus com suas vidas”.

Base Bíblica da Visão e da Missão: Evangelhos e Atos: Mt 5.13-16; 11.28-30; 16.15-19; 18.19-20; 22.36-40; 24.14; 25.34-40; 28.18-20. Mc 10.43-45. Lc 4.18-19; 4.43-45. Jo 4.23; 10.14-18; 13.34-35; 20.21. At 1.8; 2.41-47; 4.32-35; 5.42; 6.1-7. Cartas de Paulo: Rm 12.1-18; 15.1-7; 1 Co 12.12-31; 2 Co 5.17; 6.1; Gl 5.13-15; 6.1-2; Ef 1.22-23; 2.19-22; 3.6, 14-21; 4.11-16; 5.23-24; Cl 1.24-28; 3.15-16; 1 Ts 1.3; 5.11. Cartas pastorais: Hb 10.24-25; 13.7, 17; 1 Pe 2.9-10; 1 Jo 1.5-7; 4.7-21.

Existe hoje uma confusão generalizada no meio dos cristãos, a respeito do que é missão. Assim como antigamente, hoje tudo se convencionou chamar de missão. Ora se tudo é missão, nada é missão, diz Stephen Neill. Tentar definir missão não é tarefa fácil. É claro que houve uma evolução natural do termo ao ponto de “missão” incluir tudo, porém sem se identificar com esse todo. Pôr exemplo, missão não é sinônimo de evangelismo, pois se tudo que a Igreja fizer for chamado de evangelismo, então nada é  realmente evangelismo.


O que é missão?

Um homem de Deus chamado John Stott declara que “missão” significa atividade divina que emerge da própria natureza de Deus”. Foi o Deus vivo quem enviou a seu filho Jesus Cristo ao mundo, que enviou pôr sua vez os apóstolos e a Igreja. Enviou também o seu Espírito Santo à Igreja e hoje envia aos nossos corações. Logo, a missão é Deus; não é de uma instituição religiosa; não é de um líder; não é de uma pessoa. Não podemos fazer o que quisermos, pois a obra é de Deus, não somos nós que somos seus donos. Somos servos do dono da missão que é Deus. Daí surge a missão da Igreja como resultado da própria missão de Deus, devendo aquela ser modelada pôr esta. Para que todos nós entendamos a natureza da missão da Igreja, precisamos entender a natureza da missão do Filho. Não podemos pensar em missão como um dos aspectos do ser Igreja, um departamento, mas como afirma o Dr. J. Andrew Kirk, “a Igreja é missionária pôr natureza ao ponto de que, se ela deixa de ser missionária, ela não tem simplesmente falhado em uma de suas tarefas, ela deixa de ser Igreja.” Para nós entretanto, não nos resta outra opção a não ser entender a missão a luz do ministério de Jesus. O que implica em dizer que missão é ser enviado; “Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio a vós” (João 20:21). Primeiramente ao mundo. Johannes Blauw, em a Natureza Missionária da Igreja, diz que “Não há outra Igreja, que não a Igreja enviada ao mundo”. Fomos enviados para que nos identifiquemos com outras pessoas, pois de fato o que Jesus fez foi se identificar conosco assumindo nossos pecados, experimentando nossa fraqueza, sendo tentado e morrendo a nossa morte. Somos enviados pôr Cristo para encarnar as necessidades das pessoas, necessidades espirituais e materiais num mundo cada vez mais hostil. Em segundo lugar, se compreendermos a missão de Jesus corretamente, vamos descobrir que ele veio ao mundo também com a missão de servir. Charles Van Engen ao citar Dietrich Bonhoeffer diz, “a Igreja existe para a humanidade no sentido de ser o corpo espiritual de Cristo e – a semelhança de Jesus – é enviada como serva”. Marcos 10:45 diz que “o próprio Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos”. A nossa missão como a dele deve ser uma missão de serviço. Stott escreveu que “Missão, antes de tudo, significa tudo aquilo que a Igreja é enviada ao mundo para fazer.” Sendo que na sua caminhada ela deve mostrar a vocação da sua missão que é ser enviada ao mundo para ser Sal da Terra e enviada ao mundo para que lhe sirva de Luz do mundo.


A Missão de cada crente e a Missão da IEADCEMAR

A Igreja é o corpo de Cristo, a habitação de Deus através do Espírito, com designações divinas para o cumprimento da sua grande comissão. Cada crente, nascido do Espírito, é uma parte integral da Assembleia universal e igreja dos primogênitos, que está escrita no céu (Efésios 1.22-23, 2.22, Hebreus 12.23). Sendo que o propósito de Deus para com o homem é de buscar e salvar o que se havia perdido, ser adorado pelo homem, e edificar um corpo de crentes de acordo com a imagem do seu Filho. O propósito primordial pelo qual existem as Assembléias de Deus como parte da igreja é de:

a) Ser uma agência de Deus para a evangelização do mundo (Atos 1.8, Mateus 28.19-20, Marcos 16.15-16).

b) Ser um corpo no qual o homem pode adorar a Deus (1 Coríntios 12.13, Romanos 12.1,2, João 4.22-24).

c) Ser um canal do propósito de Deus para edificar um corpo de santos sendo aperfeiçoados na imagem de seu Filho (Efésios 4.11-16, 1 Coríntios 12.28, 1 Coríntios 14.12).

d) Ser um canal de serviço dos propósitos de Deus para a sociedade onde está inserida, revelando, com relevância, a santidade, a justiça e o amor de Deus (Mateus 5.13-16, Mateus 20.28, Atos 2.47). A missão acima contempla concomitante, conjunta, integrada e interdependentemente as seguintes dimensões ou aspectos, os quais não são simplesmente atividades ou meramente fazeres da igreja, mas sim, expressam a sua própria natureza, a razão de ela existir, a saber:  a) Adorar; b) Evangelizar;  c) Discipular; d) Integrar; e) Batizar; f) Edificar; g) Servir (Diaconia).


O CONCEITO DE MISSÃO INTEGRAL DO PR. ROBSON BRITO

A missão deixada pelo Senhor Jesus aos primeiros discípulos deve ser o referencial para a missão da Igreja (Marcos 16: 15; Lucas 24: 46, 47; Atos 1: 8). Dos registros da chamada Grande Comissão (Mateus 28: 18 - 20) podemos deduzir alguns princípios fundamentais: 

Aspecto do Alcance

A abrangência da missão da Igreja é ilimitada. O texto de Mateus fala a respeito de toda autoridade, toda a divindade, todas as nações, todas as ordens do novo Rei, todos os dias. A abrangência deste comissionamento indica que a missão da Igreja extrapola a conversão do indivíduo, sendo, na verdade, um projeto global de redenção.

Aspecto do Teor

Deduzimos que o conteúdo da proclamação da Igreja envolve "todas as coisas que Jesus ordenou", e isto abrange muito mais do que "o plano da salvação individual". O evangelho todo, ou "todo o conselho de Deus" (Atos 20: 27), inclui a totalidade do propósito de Deus para a sua criação.

Aspecto da Autoridade

O comissionamento da Igreja está alicerçado no fato de que toda a autoridade está de volta nas mãos do Senhor Jesus. A Igreja é responsável por proclamar que o Universo tem um novo soberano, que o tempo da rebeldia cessou e que o reino de Deus foi inaugurado. Esta, na verdade, é a boa nova: haverá uma "consumação dos séculos", um fim bom para a criação, a instalação do reino eterno de Deus, e dele farão parte todos aqueles que a partir de agora se submeterem ao novo Rei, todos aqueles que se "arrependerem, e forem redimidos de seus pecados" (Marcos 1: 14, 15).

Aspecto Teleológico (Fim)

O fim (gr teleos) último da missão da Igreja não é a conversão em massa de pecadores, mas a instalação definitiva do Reino de Deus: "Santificado seja o teu nome, venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na Terra como no céu" (Mateus 6: 9, 10). Cremos que "não devemos separar a salvação do reino de Deus. Na Bíblia, estes dois são virtualmente sinônimos, modelos alternativos que descrevem a mesma obra de Deus. Quando Jesus disse aos seus discípulos: 'quão difícil é entrar no reino de Deus', parece ter sido natural que eles respondessem com a pergunta: 'Então, quem pode ser salvo?' (Marcos 10: 24 - 26). É evidente que, para eles, entrar no reino de Deus era o mesmo que ser salvo" [John Stott]. Aspecto da Restauração Total Em síntese, Deus não está apenas resgatando pessoas, está resgatando o Universo e restaurando a plena ordem e harmonia cósmica sob os pés do Senhor Jesus (Efésios 1: 10, 22, 23). À luz desta compreensão, devemos concordar com a declaração do Congresso Mundial de Evangelização, em Lausanne, Suíça, 1974: a missão da Igreja é levar o evangelho todo para o homem todo, para todos os homens, promovendo a manifestação histórica do reino de Deus como um sinal do que serão o novo céu e a nova terra. Isto define a ação integral da Igreja, que deve estar no mundo como o Senhor Jesus no mundo esteve: "Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós" (João 20: 21).

Aspecto Ontológico

“Ontológico” diz respeito ao ser. O meu sonho no conceito que Deus tem me dado para a missão na IEADCEMAR é levar o evangelho todo para o homem todo. Por isso quando assumi a presidência da igreja Deus me deu a já citada declaração de propósitos: “Nossa Igreja existe para agir no poder do Espírito Santo, para resgatar vidas, introduzi-las na família de Deus, motivá-las à maturidade com Cristo em todas as dimensões do ser humano, desafiá-las a encontrar seus dons e, para honrarem a Deus com suas vidas”. Quando falo de todas as dimensões do ser humano, estou dizendo que para mim evangelizar é, literalmente, anunciar boas notícias. Mas, que boas notícias são estas? São as notícias a respeito do reino de Deus, inaugurado no ministério terreno de Jesus Cristo. Evangelizar é convocar pessoas para que se rendam ao novo Rei para que possam participar do seu reino eterno, o que implica o apelo à conversão mediante o arrependimento e a fé, bem como o desafio do discipulado, mediante o "negar-se a si mesmo" para seguir integralmente a Jesus (Mateus 16: 24, 25). Meu sonho é que a IEADCEMAR compreenda que evangelizar é mais do que fazer convertidos, é fazer discípulos que obedecem todas as coisas que Jesus ordenou (Mateus 28: 19, 20). A evangelização bíblica insiste que a conversão não é um ponto de chegada, mas apenas o início de uma nova vida, agora completamente submissa a Jesus Cristo, sob a ação do Espírito Santo de Deus (II Coríntios 5: 14, 15). Também, quando falamos em homem todo, lembramos do ditado "corpo sem alma é defunto; alma sem corpo é fantasma". O evangelho destina-se ao ser humano completo: espírito-alma-corpo; e, portanto, diz respeito às questões principalmente, espirituais, emocionais, psíquicas, sociais, intelectuais, físicas e, a pessoa humana e suas relações e circunstâncias. Tenho procurado ensinar que o ser humano não é um ser compartimentalizado. É uma unidade indivisível, sendo que suas dimensões de vida estão entrelaçadas e afetando-se mutuamente. O evangelho, porque é relevante para o espírito - que é a dimensão fundamental da vida humana - também é relevante para a saúde espiritual-mental-psíquica-emocional-relacional, enfim, saúde integral. Meu ideal como pastor da igreja é comunicar que o conceito expresso na palavra “Integral” seja o adjetivo chave da missão da IEADCEMAR no mundo. O evangelho que anunciamos é integral, completo, o evangelho todo. E de igual modo, falamos ao ser humano integral, completo, o homem todo. Por estas razões, Deus quer que definamos que a missão da IEADCEMAR é levar o evangelho todo para o homem todo. Pr Robson Brito – Master of Divinnity pela FTSA, filiada à Fraternidade Teológica Latino Americana Referenciais Bibliográficos: Jorge e Antônio Carlos Barro; Bosh; Robson Brito; Longhini; René Padilha; Ed Kivitiz; Renê Padilha; Orlando Costas George W. Peters, Jonh V. York, Thomaz Reginald Hoover.


VISÃO, METAS E GESTÃO DE PROJETOS
“Existem três tipos de pessoas: os que fazem as coisas acontecerem, os que ficam olhando as coisas acontecerem, e os que nem sabem o que está acontecendo”. Em sua soberania, Deus planeja todas as Suas ações e nada pode surpreendê-lo, mas nós precisamos nos esforçar muito no planejamento. Mas o que é Visão, nesta perspectiva?


O QUE É A VISÃO

1) Definição :

“Visão é uma fotografia positiva do seu futuro preferível. È uma imagem do que

você deseja fazer, uma estaca plantada no seu futuro”.

VISÃO PARA O MINISTÉRIO:

È uma imagem do que Deus quer cumprir através de você para construção do

Seu Reino. Onde eu me encaixo no que Deus está fazendo no Seu Reino.

2) Importância

2.1. “ Quando não há visão, o povo fica sem freio” – Salomão.

2.2. “ Quando o capitão não sabe a que porto se dirige, todos os ventos lhe

são contrários” – Sêneca.

3) Visão e Alvos / Metas

“ Alvos e metas são os nós da corda que você amarrou na estaca”

4) Visão x Missão

4.1. Visão é um quadro da realidade que queremos construir ao cumprirmos

a nossa missão. A visão é uma idéia ou sonho de como gostaríamos que a

organização fosse. È ver hoje o que e como estaremos fazendo no futuro.

4.2. Missão é o que fazemos hoje, de imediato. A declaração de missão

nos diz em que negócio estamos envolvidos. Esta missão está embutida em

uma declaração de propósito da organização em que define suas prioridades

hierárquicas, preferências metodológicas, público alvo, etc.

5) O Poder da Visão

5.1. O que você vê é o que você será

5.2. O que você vê é o que pode realizar

5.3. Ajudará você para realizar o que parecia impossível

5.4. Inspira outras pessoas


VISÃO EM TODAS AS ÀREAS DA VIDA

1) Minha família

1.1. Visão para mim como pai/mãe, filho(a), avô(ó), etc.

1.2. Visão para meus familiares.

2) Minha profissão

2.1.Visão para mim como profissional.

2.2. Visão para minha empresa, instituição e negócios.

3) Meu serviço voluntário na comunidade

3.1. Visão da minha participação em associações, movimentos, igreja e temas que são do meu interesse.

4) Meu desenvolvimento pessoal

4.1. Visão para o meu desenvolvimento intelectual, emocional, espiritual, físico, etc. Estabelecimento de Alvos

1)Diferenciações importantes

1.1. Visão – é o que você espera conseguir em longo prazo.

1.2. Alvos – são as metas em curto prazo que, ao serem alcançadas,

conduzem naturalmente ao cumprimento da visão.

2) Alvos precisam ser:

2.1. Específico

2.2 . Mensurável

2.3. Atingível

2.4. Relevante

2.5. Temporal

3) Princípios úteis para o estabelecimento de alvos

3.1. Baseie seus alvos no seu comportamento, ao invés de depender do comportamento dos outros, porque os outros você não pode controlar.

3.2. Escreva seus alvos detalhadamente. “ Escrever torna o homem exato” – Lorde Bacon.

3.3. Escreva seus alvos positivamente.

3.4. Inclua em seus alvos a própria mudança do seu comportamento.

4) Benefícios em Estabelecer Alvos

4.1. Alvos simplificam o processo de decisões.

4.2. Alvos melhoram a sua saúde mental e física, porque diminuem o stress, a confusão e o medo.

4.3. Alvos geram respeito da parte dos outros.

4.4. Alvos providenciam um sistema de medida de tal forma que você pode ter o sentimento de realização quando os alcança.

4.5. Alvos produzem persistência.

4.6. Alvos libertam você da escravidão à opinião dos outros.

5) O Medo de Estabelecer Alvos

5.1. Medo de alvos imperfeitos. Resposta: Mas nenhum alvo é perfeito. E as condições exigirão a correção da rota – por isso, vá em frente.

5.2. Medo da derrota em não alcançar os alvos. Resposta: Você jamais alcançará todos os alvos cem por cento. Ninguém é perfeito. Vá em frente.

5.3. Medo do ridículo. Resposta: A opinião dos outros sobre os seus alvos pode ajudá-lo a melhorá-los. Ouça os outros e vá em frente.

5.4. Medo de parecer presunçoso porque ninguém parece estar fazendo isto. Resposta: Estabeleça alvos com humildade, para cumprir sua missão neste mundo. Vá em frente.

6) Como começar

6.1. Escreva a sua visão em longo prazo.

6.2. Escreva tudo que vier à sua cabeça e que precisa ser feito para atingir esta visão. Não se preocupe com a ordem, lógica ou sequência. Apenas escreva todos os passos que precisam ser tomados.

6.3. Agora coloque os alvos em sequência lógica.

6.4. A cada semana reveja os itens. Elimine alguns, combine alguns e altere alguns.

6.5. Mantenha a disciplina diária e semanal de olhar para sua lista de alvos. Você Jamais Atingirá Sua Visão Sozinho Pense e escreva pelo menos os nomes de cinco pessoas que influenciaram sua vida de modo a deixar uma marca. Ex.: seus pais, amigo, professor; (desde a infância até a fase adulta). Você perceberá que dependemos de outros para aquilo que somos e fazemos.

1) Sua Visão Jamais será Alcançada pelo Seu Esforço Solitário

1.2.Integrar é atrair, envolver e motivar pessoas a se comprometerem com a missão.

1.3) È mobilizar PESSOAS para alinharem e doarem suas capacidades na busca da visão.

1.4) Para integrar, o líder não precisa ser o melhor habilitado de sua equipe. Ele deve incluir na equipe pessoas mais talentosas do que ele.

Referenciais Bibliográficos: John Haggai, Jorge Barro, Antônio Calos Barro.